TEMER AGIU COMO MAFIOSO E TEM QUE RENUNCIAR

Padrão

Jurista e doutor em Direito Penal afirma, em entrevista à TV 247, que Michel Temer “tem que renunciar imediatamente” por conta do áudio divulgado pelo empresário Joesley Batista, da JBS, no qual cometeu pelo menos três crimes; “Eu vejo esse áudio como o encontro do máfia, que não se encontra visivelmente. Eles escolheram o porão do Palácio do Jaburu às 23h. Isso é coisa de máfia”, opinou; para ele, nossa situação está hoje “igualzinha” à da Guatemala, onde o ex-presidente Otto Pérez Molina teve prisão decretada sob a acusação de liderar uma rede de corrupção, ou da Coreia do Sul, onde a presidente, também acusada de corrupção, também já está na cadeia; Luiz Flávio Gomes explica por que o crime do senador Aécio Neves (PSDB-MG) não pode ser considerado flagrante e critica ainda os excessos da Lava Jato.

O jurista e professor Luiz Flávio Gomes, doutor em Direito Penal, acredita que Michel Temer deva “renunciar imediatamente” após a divulgação do áudio do empresário Joesley Batista, do grupo JBS, em delação premiada.

“Eu vejo esse áudio como o encontro do máfia, que não se encontra visivelmente. Eles escolheram o porão do Palácio do Jaburu às 23h. Isso é coisa de máfia”, opinou, em entrevista concedida à TV 247 nesta segunda-feira 22. “Joesley veio da máfia, do crime organizado, prestar contas ao chefão”, disse.

“Nossa situação hoje está igualzinha à da Guatemala, e o povo ficou um ano batendo, batendo no presidente corrupto e por tráfico de entorpecentes. No final, o povo venceu e o presidente está na cadeia. No caso da Coreia do Sul, a presidenta está acusada de corrupção, inclusive envolvendo a empresa Samsung, já começou o impeachment, mas ela já está na cadeia”, comparou o jurista.

Na entrevista, Luiz Flávio Gomes explica por que o crime do senador Aécio Neves (PSDB-MG) não pode ser considerado flagrante, única razão que pode levar um parlamentar à prisão, como foi o caso do ex-senador Delcídio Amaral, que acabou sendo preso.

Segundo o jurista, os dois casos são “bem diferentes”, pois Delcídio ainda estava cometendo o crime, ao efetuar pagamentos a Nestor Cerveró em troca de seu silêncio na prisão, ou seja, o crime ainda estava sendo cometido, enquanto o de Aécio foi concluído – a entrega de R$ 2 milhões pelo empresário Joesley Batista a um primo seu, Frederico Pacheco, Fred, a pedido do senador tucano.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s