ÁUDIO REVELA QUE AEROPORTO DE CLÁUDIO ERA MESMO DE AÉCIO

Padrão

As gravações da Polícia Federal trazem mais uma confirmação humilhante para o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG); de acordo com os grampos, o aeroporto de Cláudio (MG), construído com dinheiro público na sua gestão, servia para atendê-lo e a chave ficava com seu segurança; a informação veio em uma conversa interceptada de Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio, o mesmo indicado pelo tucano para receber R$ 2 milhões, solicitados pelo tucano ao empresário Joesley Batista, da JBS; o aeroporto de Cláudio foi construído em uma área que pertencia a um tio-avô de Aécio; a obra foi concluída em 2010, a um custo de R$ 13,9 milhões; a pista fica próxima a uma fazenda da família..

As gravações da Polícia Federal trazem mais uma confirmação humilhante para o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que se licenciou da presidência do PSDB e já foi afastado do cargo de senador pelo Supremo Tribunal Federal.

De acordo com grampos da operação controlada da Polícia Federal deflagrada na semana passada, o aeroporto de Cláudio, em Minas Gerais, construído com dinheiro público durante a gestão de Aécio, servia para atender a família do tucano e a chave ficava com seu segurança, informa reportagem de Fábio Leite.

A informação veio em uma conversa interceptada de Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio, o mesmo indicado pelo tucano para receber R$ 2 milhões solicitados pelo senador ao empresário Joesley Batista, da JBS, segundo ele para pagar despesas do advogado no âmbito da Lava Jato.

O aeroporto de Cláudio foi construído em uma área que pertencia a um tio-avô de Aécio. A obra teve início durante sua gestão e foi concluída em 2010, a um custo de R$ 13,9 milhões. A pista fica próxima a uma fazenda da família Neves.

Confira o diálogo de Fred:

“Se o Duda tá descendo no avião alguém vai abrir o portão pra ele ou não?”, pergunta o interlocutor não identificado. “Sim, já deve ter aberto… ele já deve ter saído e já deve ter fechado”, responde Fred. “E quem que é essa bênção de pessoa?, continua o interlocutor. “Deve ser o segurança do Aécio”, diz Fred. “Ah, ele tem a chave?”, insiste o interlocutor. “Deve ter.. tô imaginando na condição de alguém for lá abri-lo…Eu não sei nem se vai, mas deve…Passa lá na porta”, conclui Fred.

Anúncios

Pai do primo de Aécio Neves desabafa: ‘Sua carreira política acabou’

Padrão

A declaração refere-se ao filho de Lauro, Frederico Pacheco, preso, na última quinta-feira (18), pela Lava-Jato

“Para o bem do Brasil, sua carreira política está encerrada”, desabafou, nas redes sociais, o desembargador aposentado Lauro Pacheco sobre o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG). A declaração refere-se ao filho de Lauro, Frederico Pacheco, preso, na última quinta-feira (18), pela Lava-Jato.

No texto publicado na conta da mulher dele, no último domingo, o desembargador escreveu que a lealdade do filho dele a Aécio que colocou Frederico atrás das grades. “Falta-lha, Aécio, qualidade moral e intelectual para o exercício do cargo que disputou de Presidente da República”, diz o texto.

Questionado sobre o post, Lauro confirmou a autoria, após o desabafo viralizar na internet. “Não quero dar entrevista, mas confirmo que o texto é meu. Está lançado. Compartilhei no perfil da minha mulher porque não sei mexer nessas coisas. Ele (Frederico) admirava demais o Aécio. Agora, meu filho está preso, tadinho”, disse Lauro Pacheco, em entrevista ao GLOBO.

Prisão

O primo distante de Aécio, Frederico Pacheco de Medeiros, foi preso preventivamente pela Polícia Federal, no mesmo dia da irmã do tucano, Andreia Neves. Conhecido como Fred, ele teria sido filmado recebendo R$ 2 milhões a mando de Joesley Batista, da JBS.

Leia abaixo, na íntegra, o texto escrito pelo pai de Frederico Pacheco:

“Meu filho Frederico Pacheco de Medeiros está preso por causa de sua lealdade a você, seu primo.

Ele tem um ótimo caráter, ao contrário de você, que acaba de demonstrar, não ter, usando uma expressão de seu avô Tancredo Neves, ‘um mínimo de cerimônia com os escrúpulos’. Vejo agora, Aécio, que você não faz jus à memória de seu saudoso pai o Deputado Aécio Cunha. Falta-lha, Aécio, qualidade moral e intelectual para o exercício do cargo que disputou de Predisente da República. Para o bem do Brasil, sua carreira política está encerrada.

Ass. Lauro Pachedo de Medeiros Filho

Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de Minas Gerais”.

Polícia Federal divulga conversa entre Aécio Neves e o ministro Gilmar Mendes

Padrão

 

A Polícia Federal divulgou uma conversa telefônica entre o senador afastado Aécio Neves, na época presidente do PSDB, e o Ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, sobre a Lei de Abuso de Autoridade. O supremo autorizou a gravação, feita pela Polícia Federal.

Agora: Senadores de oposição entram com representação pela cassação do Senador Aécio.

Padrão

Agora no Senado, opositores ao governo entraram com uma representação que pede a cassação do então senador Aécio Neves do PSDB.

Pego nas gravações feita pela Polícia Federal onde aparece conversa em que o senador pede 2 milhões de reais para pagar advogados

Mineirinho critica repercussão de vitória de Lula sobre Moro

Padrão

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) classificou como “um exagero” a repercussão do depoimento prestado na quarta-feira (10) pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz Sergio Moro.

O tucano, alvo de cinco inquéritos na Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), disse também que é preciso “despolitizar” a investigação.

As críticas do senador foram dirigidas em parte ao PT, pela exploração política do evento, mas também ao Ministério Público e ao Judiciário. “Todos podem contribuir [para a despolitização]: o Congresso, os procuradores, o próprio Poder Judiciário, para que ele seja menos midiático e [seja] um processo efetivamente judicial”, disse.

Questionado sobre se a Lava Jato está agindo politicamente, Aécio disse apenas que “foi desnecessária toda essa exploração em torno de um depoimento que poderia ter acontecido de parte a parte”.