DORIA DOOU R$ 50 MIL AO HOMEM DA MALA DE TEMER

Padrão

João Doria, prefeito de São Paulo, foi um dos doadores de campanha de Rodrigo Rocha Loures, o homem da mala de Temer; o deputado paranaense era responsável por cuidar dos interesses da JBS no governo; o tucano doou R$ 50 mil para a campanha a deputado federal de Loures.

Ligações perigosas: João Doria (PSDB), prefeito de São Paulo, mantinha uma relação além da institucional com o deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR). Antes de entrar na política, Doria estava preocupado e acompanhava atentamente o sucesso eleitoral do “homem da mala” de Michel Temer.

Prova disso é a doação de R$ 50 mil feita por Doria à campanha de Rocha Loures em 2014. Declarada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a doação foi feita via transferência eletrônica no dia 29 de agosto de 2014 segundo o blog Maquiavel, da Veja.

Rocha Loures era o encarregado de tratar dos interesses da JBS com o governo e foi eleito como suplente em 2014. O titular do mandato é Osmar Serraglio (PMDB-PR), ministro da Justiça. No final de abril, ele foi flagrado recebendo uma mala com R$ 500 mil da JBS, que a PF desconfia ser destinada a Temer.

A assessoria de imprensa do prefeito afirma que “não há deferência nenhuma. O candidato estava em campanha e o prefeito fez uma doação legal, do seu próprio bolso. Naquele momento, o deputado Rocha Loures era um parlamentar com relações no meio empresarial. Ele não fazia parte da comitiva do prefeito que viajou a Nova York, até porque o prefeito não viaja em comitiva. O prefeito foi convidado a alguns eventos aos quais Rocha Loures também foi. João Doria doou 50.000 reais a um candidato de suas relações e sobre o qual, naquele momento, nada pesava”.

ÁUDIO REVELA QUE AEROPORTO DE CLÁUDIO ERA MESMO DE AÉCIO

Padrão

As gravações da Polícia Federal trazem mais uma confirmação humilhante para o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG); de acordo com os grampos, o aeroporto de Cláudio (MG), construído com dinheiro público na sua gestão, servia para atendê-lo e a chave ficava com seu segurança; a informação veio em uma conversa interceptada de Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio, o mesmo indicado pelo tucano para receber R$ 2 milhões, solicitados pelo tucano ao empresário Joesley Batista, da JBS; o aeroporto de Cláudio foi construído em uma área que pertencia a um tio-avô de Aécio; a obra foi concluída em 2010, a um custo de R$ 13,9 milhões; a pista fica próxima a uma fazenda da família..

As gravações da Polícia Federal trazem mais uma confirmação humilhante para o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que se licenciou da presidência do PSDB e já foi afastado do cargo de senador pelo Supremo Tribunal Federal.

De acordo com grampos da operação controlada da Polícia Federal deflagrada na semana passada, o aeroporto de Cláudio, em Minas Gerais, construído com dinheiro público durante a gestão de Aécio, servia para atender a família do tucano e a chave ficava com seu segurança, informa reportagem de Fábio Leite.

A informação veio em uma conversa interceptada de Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio, o mesmo indicado pelo tucano para receber R$ 2 milhões solicitados pelo senador ao empresário Joesley Batista, da JBS, segundo ele para pagar despesas do advogado no âmbito da Lava Jato.

O aeroporto de Cláudio foi construído em uma área que pertencia a um tio-avô de Aécio. A obra teve início durante sua gestão e foi concluída em 2010, a um custo de R$ 13,9 milhões. A pista fica próxima a uma fazenda da família Neves.

Confira o diálogo de Fred:

“Se o Duda tá descendo no avião alguém vai abrir o portão pra ele ou não?”, pergunta o interlocutor não identificado. “Sim, já deve ter aberto… ele já deve ter saído e já deve ter fechado”, responde Fred. “E quem que é essa bênção de pessoa?, continua o interlocutor. “Deve ser o segurança do Aécio”, diz Fred. “Ah, ele tem a chave?”, insiste o interlocutor. “Deve ter.. tô imaginando na condição de alguém for lá abri-lo…Eu não sei nem se vai, mas deve…Passa lá na porta”, conclui Fred.

TEMER AGIU COMO MAFIOSO E TEM QUE RENUNCIAR

Padrão

Jurista e doutor em Direito Penal afirma, em entrevista à TV 247, que Michel Temer “tem que renunciar imediatamente” por conta do áudio divulgado pelo empresário Joesley Batista, da JBS, no qual cometeu pelo menos três crimes; “Eu vejo esse áudio como o encontro do máfia, que não se encontra visivelmente. Eles escolheram o porão do Palácio do Jaburu às 23h. Isso é coisa de máfia”, opinou; para ele, nossa situação está hoje “igualzinha” à da Guatemala, onde o ex-presidente Otto Pérez Molina teve prisão decretada sob a acusação de liderar uma rede de corrupção, ou da Coreia do Sul, onde a presidente, também acusada de corrupção, também já está na cadeia; Luiz Flávio Gomes explica por que o crime do senador Aécio Neves (PSDB-MG) não pode ser considerado flagrante e critica ainda os excessos da Lava Jato.

O jurista e professor Luiz Flávio Gomes, doutor em Direito Penal, acredita que Michel Temer deva “renunciar imediatamente” após a divulgação do áudio do empresário Joesley Batista, do grupo JBS, em delação premiada.

“Eu vejo esse áudio como o encontro do máfia, que não se encontra visivelmente. Eles escolheram o porão do Palácio do Jaburu às 23h. Isso é coisa de máfia”, opinou, em entrevista concedida à TV 247 nesta segunda-feira 22. “Joesley veio da máfia, do crime organizado, prestar contas ao chefão”, disse.

“Nossa situação hoje está igualzinha à da Guatemala, e o povo ficou um ano batendo, batendo no presidente corrupto e por tráfico de entorpecentes. No final, o povo venceu e o presidente está na cadeia. No caso da Coreia do Sul, a presidenta está acusada de corrupção, inclusive envolvendo a empresa Samsung, já começou o impeachment, mas ela já está na cadeia”, comparou o jurista.

Na entrevista, Luiz Flávio Gomes explica por que o crime do senador Aécio Neves (PSDB-MG) não pode ser considerado flagrante, única razão que pode levar um parlamentar à prisão, como foi o caso do ex-senador Delcídio Amaral, que acabou sendo preso.

Segundo o jurista, os dois casos são “bem diferentes”, pois Delcídio ainda estava cometendo o crime, ao efetuar pagamentos a Nestor Cerveró em troca de seu silêncio na prisão, ou seja, o crime ainda estava sendo cometido, enquanto o de Aécio foi concluído – a entrega de R$ 2 milhões pelo empresário Joesley Batista a um primo seu, Frederico Pacheco, Fred, a pedido do senador tucano.

Bob Fernandes: O governo Temer acabou. O que ainda se move e fala são zumbis em torno dele

Padrão

Vídeo: Com toda corrupção onde estão as multidões que pediram a queda de Dilma agora?

Uns pretendem manter os zumbis; ainda querem, buscam a entrega do serviço contratado.

Outros, até pra escapar à contaminação, querem se livrar dos zumbis. Esse zumbinato nasceu de uma Farsa.

Loures viajou com Temer 2 dias depois de receber mala com R$ 500 mil

Padrão

Deputado ligou para o cerimonial da Presidência e confirmou embarque junto com a comitiva cerca de duas horas após receber o dinheiro

No início da noite do dia 28 de abril, o deputado federal afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) recebeu uma mala com R$ 500 mil de um dos delatores da JBS, em uma pizzaria de São Paulo, como mostraram as últimas revelações da operação Lava Jato, feitas na semana passada.

Por volta de duas horas depois, ligações interceptadas pela Polícia Federal, com autorização judicial, mostram que o próprio Loures ligou para o cerimonial da Presidência da República e pediu para embarcar, junto com a comitiva de Michel Temer, para um compromisso em São Paulo. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do Palácio do Planalto.

A viagem de Loures e Temer aconteceu, de acordo com informações do portal Uol, no dia 30 de abril. O fato chama a atenção dos investigadores porque, segundo Joesley Batista, o deputado afirmou, em uma das gravações feitas pelo empresário, que era um emissário do presidente.

Rodrigo Rocha Loures e Temer são alvos de um inquérito que tramita no STF (Supremo Tribunal Federal) que apura a suposta prática de obstrução de Justiça e corrupção passiva. Na semana passada, uma decisão do Supremo afastou Loures de seu mandato como parlamentar.

Loures é suspeito de ter recebido propina da JBS para viabilizar nomeações e operações de interesse da companhia. Temer, por sua vez, é suspeito de ter indicado Loures ao empresário Joesley Batista para que ele intercedesse em favor de Joesley em assuntos de interesse do grupo. Ambos negam envolvimentos nos esquemas de corrupção.

Pai do primo de Aécio Neves desabafa: ‘Sua carreira política acabou’

Padrão

A declaração refere-se ao filho de Lauro, Frederico Pacheco, preso, na última quinta-feira (18), pela Lava-Jato

“Para o bem do Brasil, sua carreira política está encerrada”, desabafou, nas redes sociais, o desembargador aposentado Lauro Pacheco sobre o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG). A declaração refere-se ao filho de Lauro, Frederico Pacheco, preso, na última quinta-feira (18), pela Lava-Jato.

No texto publicado na conta da mulher dele, no último domingo, o desembargador escreveu que a lealdade do filho dele a Aécio que colocou Frederico atrás das grades. “Falta-lha, Aécio, qualidade moral e intelectual para o exercício do cargo que disputou de Presidente da República”, diz o texto.

Questionado sobre o post, Lauro confirmou a autoria, após o desabafo viralizar na internet. “Não quero dar entrevista, mas confirmo que o texto é meu. Está lançado. Compartilhei no perfil da minha mulher porque não sei mexer nessas coisas. Ele (Frederico) admirava demais o Aécio. Agora, meu filho está preso, tadinho”, disse Lauro Pacheco, em entrevista ao GLOBO.

Prisão

O primo distante de Aécio, Frederico Pacheco de Medeiros, foi preso preventivamente pela Polícia Federal, no mesmo dia da irmã do tucano, Andreia Neves. Conhecido como Fred, ele teria sido filmado recebendo R$ 2 milhões a mando de Joesley Batista, da JBS.

Leia abaixo, na íntegra, o texto escrito pelo pai de Frederico Pacheco:

“Meu filho Frederico Pacheco de Medeiros está preso por causa de sua lealdade a você, seu primo.

Ele tem um ótimo caráter, ao contrário de você, que acaba de demonstrar, não ter, usando uma expressão de seu avô Tancredo Neves, ‘um mínimo de cerimônia com os escrúpulos’. Vejo agora, Aécio, que você não faz jus à memória de seu saudoso pai o Deputado Aécio Cunha. Falta-lha, Aécio, qualidade moral e intelectual para o exercício do cargo que disputou de Predisente da República. Para o bem do Brasil, sua carreira política está encerrada.

Ass. Lauro Pachedo de Medeiros Filho

Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de Minas Gerais”.

TEMER DESAFIA O BRASIL E DIZ: SE QUISEREM, ME DERRUBEM

Padrão

Beto Barata/PR

Rejeitado por 92% dos brasileiros, Michel Temer virou um trambolho para o País; depois de conspirar contra a presidente legítima Dilma Rousseff, usurpar o poder e ser flagrado cometendo vários crimes, pelos quais será denunciado pela Procuradoria-Geral da República, ele diz que não renuncia; em entrevista, Temer diz que não vai sair do poder; “Se quiserem, me derrubem”, desafia; o peemedebista disse ainda que recebeu Joesley Batista sem saber que o empresário era investigado; Temer insinuou também que o PSDB é seu refém e não conseguirá se libertar dele, reiterando que o apoio dos tucanos segue até 2018; sobre Rodrigo Rocha Loures, flagrado recebendo uma mala de R$ 500 mil em nome dele, Temer avaliou que ele é de “boa índole”.